Venda e consumo de drogas ocorre à vista de todos na Praça João Gomes

Cocaína. Maconha. Crack. Qualquer tipo de drogas. São homens, mulhres, homossexuais, meninos e meninas, da mais tenra idade. Todos aproveitavam a escuridão da praça e a quase inexistente fiscalização, para consumir e vender drogas.
Tudo isso ocorria a olho nu, para quem quisesse ver. O mais intrigante disso tudo é que no momento em que estava presenciando os fatos, sábado, por volta da meia-noite, não vi uma viatura da Brigada cruzar pela praça.
A droga simplesmente passava de mão em mão e era consumida ali mesmo, próximo aos banheiros, aproveitando-se da escuridão da praça.
As pessoas que estavam ali, que não eram usuárias, sentiam-se encomodadas com a situação e iam embora.
E o consumo não se restringia à adultos. Certa hora percebi um menino movimentando-se do centro da praça para a avenida com um papelote na mão e entregando a uma dupla e em seguida recebendo dinheiro. Logo após voltou à praça e entregou o dinheiro a um homem mais velho. Um detalhe intriga: esse menino devia ter no máximo 12 anos de idade. Junto dele havia outros meninos e uma menina que devia ter a mesma idade. Todos andavam pra lá e pra cá na praça em atitudes suspeitas. 
Eram muitos. Quem não traficava, consumia. Isso em pleno centro da cidade, na sua praça principal. E isso é lamentável.
Opinão: O consumo de drogas é grande em todo o país. Basta ver as notícias na TV, nos jornais ou na internet. Sempre há notícias que foi preso o traficante tal, que invadiram a favela tal, que desmancharam a cracolândia tal. E Capão do Leão não é uma ilha isolada do Brasil. Claro que por aqui também há consumo de drogas.
No entanto, deve-se fazer o combate. E o combate ocorre em três formas. Prevenir, combater e ressocializar.
Deve ser feito um trabalho de prevenção ao uso de drogas, principalmente junto aos nossos jovens e nossas crianças. Educar. Deveria ser inserido em nossos currículos escolares Prevenção de Uso de Drogas. Além disso, combater, coibir o uso de qualquer tipo de entorpecentes ilícitos. Falando apenas de Capão do Leão, deveria ser feito uma parceria entre Brigada Militar, MP e Conselho Tutelar para fazer a retirada de menores consumidores das ruas. Sinceramente, não acredito que o Conselho não esteja vendo a barbaridade que ocorre na Praça João Gomes todos os finais de semana. Ou são cegos ou não se importam com o futuro de nossas crianças.
Porém, o trabalho de prevenção só terá efeito se nossas crianças e jovens forem ressocializados no meio em que vivem. Não basta tirar da rua. Não basta proibir o uso de drogas, deve ser feito um trabalho social de inserção desse jovem na escola, no mercado de trabalho e no seio de sua família. Só assim teremos futuro, cuidando de nosso FUTURO!!!!

Comentários