Estação Teodosio

Um crime contra o patrimônio histórico. É assim que o Professor e Historiador Joaquim Dias nos apresenta a Antiga Estação Férrea do Teodósio nos dias atuais, em seu blog Capão do Leão História & Cultura.
Segundo informações do Professor, a Estação do Theodósio surgiu por volta de 1900 e foi um empreendimento particular dos veranistas ali presentes.
A Estação recebeu esse nome em virtude que o doador do terreno para a construção foi um senhor chamado Teodósio Fernandes da Rocha. Esse daria o nome também ao atual bairro Teodosio, que surgiu em virtude da estação.
Não vou me alongar na história da estação porque isso é do conhecimento de todos os leonenses.
Foto antiga da estação/ imagem da internet
No entanto, surgiu um movimento nas redes sociais faz alguns dias em defesa da estação, que para muitos, o município comemorará o aniversário de 30 anos vendo a ruína da antiga estação.
A Estação pertenceu à antiga VFFRSA. Na década de 90 foi transferida para a Prefeitura, que logo em seguida deu em comodato (empréstimo) à ACUT (Associação Comunitária Unidos do Teodósio). Parece nome carnavalesco, mas é uma associação comunitária. A associação fez algumas melhorias pontuais, como uma churrasqueira ao lado, que não chegou a modificar nada na estrutura original do prédio. O prédio encontra-se hoje decadente, prestes a ruir.
Foto mais atual/imagem da internet
 De quem é a culpa por tudo isso? De muita gente.
Do poder público, da ACUT, e da própria comunidade.
Infelizmente as pessoas não tem o costume de preservar o patrimônio histórico dos lugares em que vivem. O engraçado é que muitos viajam para a Europa e países vizinhos só para verem patrimônio histórico, mas a maioria é contra a preservação do nosso patrimônio, bem pertinho de casa.
Em 2006, o então prefeito municipal Vimar Schimitt, deu uma entrevista ao jornal Diário Popular de Pelotas comprometendo-se em achar uma solução para a antiga estação. Até hoje pouco ou nada foi feito e o resultado está aí, com o prédio da estação quase ruindo.
Mas esse ano temos nova eleição e esperemos que nossos representantes, independente de quem venha a ser, possam achar uma solução para não perdermos essa parte da nossa história.
Sei que a prefeitura sozinha não conseguiria muita coisa, já que a restauração da antiga estação consumiria alguns milhões de reais, mas poderia tentar buscar recursos com alguns órgãos competentes, como o IPHAN, o Ministério do Turismo, através do Ministério da Educação, da Cultura ou até dos Transportes, já que estão falando tanto em trem regional; poderia ser ali uma estação para a nova modalidade de trem que vem por aí.
Para isso tem que ter um bom projeto e gente competente para buscar recursos. Ou alguém prefere que a estação caia por terra?

Comentários