Seminário aborda vida e obra de Hipólito José da Costa

Na noite desta terça-feira (4), um seminário realizado na sede campestre do Centro Português, Recanto de Portugal, irá abordar a vida e a obra de Hipólito José da Costa, patrono da imprensa brasileira. O evento ocorre das 19h às 21h, com entrada franca, em comemoração à Semana da Imprensa Nacional.
Na ocasião, será apresentado pelo presidente da Associação Riograndense de Imprensa, um documentário sobre o ilustre homenageado. Logo após, o professor José Costa Fróes coordenará um painel de debates com os participantes Sergio Cruz Lima, Berenice Xavier Villela, Jorge Martins, Érika Coester Kramer e Luís Carlos Mazoni.

Simbolismo
De acordo com o professor José Costa Fróes, a realização do seminário é de grande valor simbólico para Pelotas, já que a região teve um grande significado na construção intelectual de José da Costa. “É um marco de referência, já que foi em sua passagem por Pelotas que ele adquiriu o aporte cultural antes de ir fazer a faculdade em Portugal”, disse.
Inclusive no município de Capão do Leão, ainda hoje se conserva a casa onde ele viveu. “Por outro lado, pensamos em realizar o evento aqui por causa da referência de cultura portuguesa encontrada em Pelotas”, concluiu.

Saiba mais
Considerado o Patrono da Imprensa no Brasil, Hipólito José da Costa nasceu na Colônia do Sacramento, às margens do Rio do Prata (hoje território do Uruguai), em 25 de março de 1774. Sua família transferiu-se para a região que deu origem à cidade de Pelotas, no Rio Grande do Sul, onde Hipólito iniciou seus estudos. Em 1792, estudou Filosofia e Direito em Portugal, na Faculdade de Coimbra. Nos Estados Unidos, em 1798, iniciou estudos científicos sobre o clima e a agricultura da região, quando obteve contato com a maçonaria e escreveu seu primeiro livro: Diário de minha viagem para a Filadélfia.
Retornou a Portugal em 1800, sendo nomeado diretor da Imprensa Régia. Em 1802, viajou à Inglaterra em missão oficial para comprar máquinas e equipamentos de impressão.
Em 1º de junho de 1808, Hipólito José da Costa publicou, em Londres, o primeiro número do jornal Correio Braziliense ou Armazém Literário, em fascículos mensais, com cerca de 80 páginas. Até 1822, quando foi extinta sua edição, o jornal havia produzido 175 fascículos. A publicação foi proibida de circular no Brasil e em Portugal devido aos artigos que pregavam liberdade de expressão, a independência do Brasil, além de condenar a aristocracia parasitária do Reino e a exploração econômica de Portugal em relação ao Brasil. No entanto, o Correio Braziliense circulou de forma clandestina no Brasil e na metrópole portuguesa.
Morreu em 11 de setembro de 1823, em Londres. Desde o ano de 2000, o Dia Nacional da Imprensa no Brasil é comemorado em 1º de junho, quando foi publicado pela primeira vez o Correio Braziliense.

Fonte: Museu de Comunicação Hipólito José da Costa

Comentários