Eliseu Maciel é federalizada

Uma antiga demanda da comunidade dos municípios de Pelotas e do Capão do Leão, além de estudantes e servidores da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) e da Embrapa Clima Temperado, ganhou um grande fôlego: foi aprovada no dia 26 de dezembro pelo conselho do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) a federalização do trecho de acesso ao Campus Capão do Leão.
federalização estrada do capão css 2A notícia foi recebida com muita alegria pela comissão que, desde 2011, vem pleiteando essa ação por parte do Governo Federal. Composta por representantes da UFPel, da Embrapa, da Prefeitura e Câmara de Vereadores do Capão do Leão e pelo Sindicato dos Servidores da UFPel (Asufpel), ela esteve reunida na manhã desta quarta-feira (8) para celebrar a conquista e apontar alguns detalhes das obras que estão previstas para o trecho.

Planos
O trecho de cerca de sete quilômetros entre o prolongamento da avenida Duque de Caxias, em Pelotas, e das avenidas Três de Maio e Eliseu Maciel, no Capão do Leão, sempre foi alvo de reclamações dos usuários. Segundo o vereador leonense Marco Aurélio Gomes, representante da Câmara do município na comissão, o orçamento local não daria conta da recuperação da estrada, nem mesmo se fossem ali alocados recursos de outras áreas fundamentais.
A federalização do trecho já vinha sendo apontada há anos como solução para esta demanda. Com a aprovação do processo pelo conselho do DNIT, ela foi oficializada e, a partir de agora, a revitalização do trecho passa para a alçada do Ministério dos Transportes.
No entanto, o projeto da obra já foi realizado. Em um primeiro momento, serão realizados tratamentos paliativos na pista, de forma a deixar a via em condições mínimas de tráfego. Para uma segunda fase, são esperados recuperação completa, recapeamento do asfalto e instalação de iluminação e sinalização. O planejamento inclui a construção de uma ciclovia, recuos para ônibus e um viaduto no entroncamento entre as avenidas Três de Maio e Eliseu Maciel. A ideia é conseguir uma vinculação da obra ao PAC Cidades.

Mobilização histórica
A conquista obtida nos últimos dias de 2013 é fruto de uma forte pressão do grupo de trabalho. “Estamos comemorando essa vitória, pois estaremos saneando em definitivo essa situação”, celebra o reitor da Universidade Federal de Pelotas, professor Mauro Del Pino.
O representante da Asufpel no grupo, Tonilar Afonso, lembra que a mobilização iniciou através do jornal do Sindicato, quando eram fotografadas as más condições das vias de acesso ao então Campus Universitário, hoje chamado Campus Capão do Leão.
A luta tomou corpo a partir de uma audiência pública promovida pela Câmara leonense, em parceria com a Secretaria de Obras do Município, no salão da comunidade católica localizada no Campus, no dia 15 de dezembro de 2010. Depois daquela reunião, foi formada a comissão com representantes das diversas esferas envolvidas na questão.
Com a descoberta de que por ser uma ligação entre uma rodovia federal e a área de não apenas uma, mas duas instituições federais – a universidade e a Estação de Terras Baixas da Embrapa Clima Temperado , a via poderia ser federalizada, começou a pressão, inicialmente com o ministro dos Transportes, que encaminhou o grupo para o DNIT. Nas negociações na capital, o grupo contou com o apoio do deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS).
Um dos pontos mais importantes dentro dessa caminhada foi a aprovação da doação do terreno que abriga o acesso por parte das Câmaras Municipais do Capão do Leão e de Pelotas para a União. Isto possibilitou legalmente a federalização do trecho.

Ações imediatas
Antes, porém, de iniciarem as obras definitivas, algumas intervenções serão realizadas de forma paliativa para sanar alguns problemas pontuais. A principal delas é a modificação do entroncamento entre as avenidas Três de Maio e Eliseu Maciel, local onde se formam grandes filas de espera por causa da tentativa de conversão de uma via para a outra. Ali, segundo o grupo, pretende-se instalar uma rótula.
Outra iniciativa a ser realizada pelo grupo é a visita à Universidade Federal de Santa Maria, que recentemente também conseguiu a federalização do seu acesso e já vive as obras de revitalização.

Fonte: UFPel

Comentários

Postar um comentário