Vigilância Sanitária alerta sobre comercialização de produtos de origem animal

A Vigilância Sanitária preocupada com a origem dos produtos de origem animal vendidos no comercio local alerta os consumidores sobre o selo de inspeção que consta nas embalagens, pois ele indica se o produto pode ou não ser comercializado em Capão do Leão. 
Quem informa é o médico veterinário da vigilância sanitária Marcio Soares: “Existem três esferas de Inspeção: Federal, Estadual, e municipal. Como na nossa cidade não temos Serviço de Inspeção Municipal (SIM), nenhum produto com este selo pode ser comercializado. Estamos retirando todo produto irregular do mercado e junto estamos fazendo um trabalho de conscientização dos proprietários de estabelecimentos, que muitas vezes desconhecem tal assunto”.
A equipe da vigilância ao emitir o laudo de inutilização do produto justificando a apreensão e descarte, possibilita o comerciante solicitar ressarcimento junto ao fornecedor, já que o mesmo é proibido de distribuir fora do território do seu município.
Por  fim, Márcio acredita que o fato da população, várias vezes, comprar estes produtos nos mercados na cidade de Pelotas, faz o mesmo aqui em Capão do Leão, acreditando estar comprando um produto com autorização para ser vendido sem restrição alguma.  “Estamos formulando um material de orientação para ser fixado próximo da venda destes produtos nos estabelecimentos para que o consumidor comece a ficar atento a tudo que deve observar quando for comprar um alimento”, conclui Márcio.
Os principais produtos de origem animal, além das carnes e embutidos, são o leite, presunto, queijo, mortadela, salame, requeijão,  iogurte, etc. Devem sempre estar identificados com o registro de Inspeção do fabricante.

Comentários