Estudantes da Escola Castelo Branco protestaram na 5ª CRE

O protesto foi organizado por pais, estudantes e professores da Escola Castelo Branco e reuniu cerca de 30 pessoas.

Um grupo de estudantes do 2º ano do ensino médio, mais pais e professores, do Castelo Branco, protestaram na manhã dessa quinta-feira, em frente a 5ª Coordenadoria Regional de Educação, em Pelotas. O motivo do protesto é a falta de professores que os alunos estão enfrentando desde que iniciou o ano letivo. Faltam professores de matemática, de química, português, literatura, biologia e geografia. Faltam também servidores como merendeira e zeladores. 
Os alunos relataram que todos os dias praticamente ficam sem aulas ou tem períodos vagos. Reclamam que a falta de docentes prejudica o desenvolvimento e o rendimento escolar. Conforme relatou o estudante Luca Anjos, a falta de professores prejudica todos os alunos: "Nós, estudantes do segundo temos uma grande preocupação com a falta de professores, pois ano que vem já temos que fazer ENEM. E como fica nosso desenvolvimento escolar? Prejudicado!" Desabafa. 
O grupo foi recebido pela Sec. Adjunta da 5ª CRE, Prof. Marileia Neitzke, que garantiu aos estudantes e pais presentes que o problema da falta de professores será resolvido ainda esta semana. Segundo informação passada pela Secretária, estaria apenas esperando a publicação no Diario Oficial, que poderia ocorrer ainda hoje. Garantiu também que o atraso na contratação dos professores se deu porque a escola demorou para enviar a documentação necessária.
Segundo ela, já foram contratados professores de português, matemática, biologia e geografia. Espera apenas a publicação em edital.
Nenhum membro da direção da Escola participou do protesto.

Assista os melhores momentos do protesto em nosso canal no YouTube, seguindo o link: Protesto Escola Castelo Branco

Comentários

  1. Enquanto professora desta escola gostaria de comunicar que desde o ano passado os casos de possíveis mudanças no Quadro de Funcionários e professores para 2014 foi enviado a CRE. Depois disso, surgiram os dois únicos casos especiais: Um professora de química aprovada num concurso e que se afastou da escola a partir de 28 de fevereiro e uma professora de Matemática nomeada no município de Pelotas a partir de 24 de fevereiro. Estes casos foram comunicados a CRE assim que surgiram. Além do mais, o número de turmas da escola aumentou pelo grande número de alunos matriculados no período de fevereiro, com autorização da CRE, sabedora portanto de que seriam necessários mais professores para atender os alunos. No mais, mês a mês a nossa Mantenedora (5ª CRE) exige uma atualização do quadro de recursos humanos. Diversos emails e contatos diretos foram mantidos com a coordenadoria. Sendo assim estranhamos muito que a Coordenadora Adjunta professora Mariléia não esteja ciente destas informações. Da nossa parte, temos tudo registrado nos dados da escola. Enfim, não nos interessamos por desculpas e sim por soluções. Atenciosamente!

    ResponderExcluir

Postar um comentário