Obras do Sanep estariam irregulares

A queda de braço entre o município de Capão do Leão com o município-mãe, Pelotas, parece ter dado mais um capítulo. Depois de ter seu pedido de cedência da EMPEM negado pelo município vizinho, o problema agora parece ser com as obras do SANEP que são feitas dentro do território leonense.
Para quem não lembra, a autarquia pelotense está construindo uma ETA (Estação de Tratamento de Água) no Canal São Gonçalo. E Pelotas não tem acesso a parte do canal depois da eclusa; para isso, usa o acesso pelo Capão do Leão.
No entanto, para surpresa geral de todos, como se aqui fosse uma terra de ninguém, o SANEP simplesmente largou tubos e materiais no local e já está iniciando obras; só que, junto à Prefeitura Municipal de Capão do Leão não possui nenhum projeto de licenciamento ambiental; nem impacto de riscos e  nem qualquer outro tipo de documento que autorize a construção de uma obra de R$ 30 milhões.
Vale lembrar que o Canal São Gonçalo não pertence ao município, mas as áreas onde será construída a ETA ficam é desse lado de cá do Arroio Fragata. Por isso tal situação se torna irregular e configura crime ambiental.
Ontem em sessão na Câmara, o vereador Hugo Alexandre, um dos integrantes da comissão que luta pela retomada da EMPEM, disse que tal situação não ficará barata e o município de Pelotas, deve sim, seguir os trâmites legais, incluindo o licenciamento ambiental junto ao Departamento de Meio Ambiente. Disse ainda que tomará as medidas que achar necessárias.

Comentários