Galera do face parece ter perdido de vez o rumo

Toda a vez que entro no "face" parece que vejo um episódio do Simpsons, onde a personagem Lisa é consolada por seu pai Homer Simpson, depois de supostamente ter fracassado em sua luta contra o monopólio de imprensa da sua cidade, Springfield. O burro Homer consola sua filhinha dizendo que ela teria alcançado seu objetivo quando solta uma pérola: "ao invés de termos um grandão controlando toda a imprensa, agora temos milhares de malucos distribuindo suas opiniões inúteis, que ninguém nunca pediu". 
É assim que me sinto às vezes quando entro e vejo algumas opiniões de algumas pessoas no "face". Não são todos, é claro, mas a maioria das pessoas tentam dar opiniões de questões que muitas vezes desconhecem. 
Como dizia meu amigo lá da Hidráulica: o que importa são os cliques e os "likes".

As instituições são as mais desrespeitadas da rede
Infelizmente as instituições são as que mais sofrem bulliyng dentro dos limites de nosso município. A galera do facebook não perdoa e parte ao ataque e já ofende tudo e a todos, a torto e direito, sem se importar em quem vai respingar suas resignações.
Não estou dizendo que as pessoas não possam cobrar, xingar, exigir ou fiscalizar; nada disso. Apenas salientar que numa democracia até a liberdade de expressão sofre uma limitação e pode trazer, inclusive, consequências nada agradáveis ao seu autor.
Mas quais as instituições são desrespeitadas? Vamos por parte. 
A Prefeitura Municipal, não o seu prefeito, mas o ente jurídico que ele representa. Por aqui se criou uma sina, que tudo que acontece, é por causa da prefeitura. Falta água, lá vem uma turma com ofensas. Falta luz, lá vem outra surra. A questão não são as cobranças, que são normais numa sociedade civilizada, mas a maneira como elas são feitas. As pessoas perderam o senso de civilidade e partem diretamente paras as ofensas, muitas no campo pessoal. A prefeitura está com a moral tão abalada que mesmo, que acabe a era PDT e entre outro prefeito, ainda assim, demorará muito tempo até que ela recupere sua credibilidade há muito perdida.
Depois da prefeitura, outra instituição é alvo de críticas e ofensas no "face": a Câmara de Vereadores. Mais uma vez, não defendo os vereadores, sim a instituição Câmara de Vereadores. As pessoas se abusam por estarem atrás de um computador, muitas vezes escondidos por perfis falsos para traçar ofensas e críticas a determinados vereadores, que muitas vezes atingem a Casa como todo. Alguns desses críticos são pré-candidatos e no ano de 2016 estarão nas ruas pedindo votos para ocupar uma cadeira na instituição, que cuja imagem, eles mesmos ajudaram a macular e denegrir.
Tanto a Câmara quanto a Prefeitura já são alvos dessas críticas há anos por aqui, até mesmo por uma questão de política (ou politicagem). E o pior é que a maioria desses fatos ocorrem num grupo específico e são quase sempre os mesmos que atuam. A pergunta que se faz é: cadê os moderadores?
No entanto, nos últimos dias as pessoas perderam de vez a razão. O alvo das críticas tem sido integrantes da Brigada Militar. Ou é porque parou alguém em uma blitze ou foi por causa da atuação dela no carnaval, ou porque demorou a atender uma ocorrência, etc. São críticas e mais críticas. Algumas delas devem sim ser analisadas e levadas ao comando, investigadas e os agressores punidos; mas a maioria são críticas infundadas contra a atuação daqueles que estão aí para proteger. Se faz algo, está errado. Se não age, está errada. Então o que fazer?
O face está demais, está completamente sem controle.

Ofensas no face podem ter desdobramentos judiciais
Talvez as pessoas não saibam ou simplesmente ignoram, mas as ofensas no face não são de faz-de-conta. Elas podem ter desdobramentos judiciais, tanto no crime como de reparação de danos. Por isso, muito cuidado ao fazer uma postagem com cunho ofensivo, que possa atingir alguém ou alguma instituição. Eles podem te processar. E a polícia te prender!
Quanto aos grupos, se não agirem, controlando o conteúdo publicado por seus membros, podem ser fechados ou excluídos por ordem judicial. Precisam agir mais, senão as consequências podem ser irremediáveis.
Portanto, cobrar, exigir, até xingar, pode; mas as coisas devem ser feitas dentro de uma razoabilidade aceitável e do modo certo, sem exageros.

*PS: Estou preparado paras as pedradas que irei receber por causa do texto acima!


Comentários

Postar um comentário