Deputada Miriam Marroni ainda não deu explicações para seu eleitorado

Dona de 1.338 votos para deputada estadual em Capão do Leão, Miriam Marroni (PT) só foi menos votada em terras leonenses para o vereador pelotense Anselmo Rodrigues (PDT). 
A Deputada Estadual bem votada aqui, foi citada pelo vice-presidente da empresa Engevix, Gerson Almada, como uma das beneficiárias de recursos ilegais oriundos de contratos superfaturados da empresa com a Petrobrás. 
Nos documentos divulgados pela PF, ainda no mês de julho, dão conta como uma suposta beneficiária de doações da empresa a Deputada pelotense, que no documento é identificada como Miriam (Região de Pelotas/RS), conforme demonstra o documento abaixo.
Além da Engevix, que não aparece na prestação de contas de 2014 da Dep. Estadual, ela recebeu doações das empresas UTC Engenharia e Andrade Gutierrez, que tiveram seus diretores presos na Operação Lava Jato.
Os procuradores da República afirmam que os empreiteiros fizeram doações formalmente legais, mas com dinheiro sujo, que teriam sido desviados em sobrepreços em contratos com a Petrobras.
Muito embora Miriam tenha divulgado uma notinha negando que tenha recebido dinheiro ilegal, até o presente momento a Deputada não veio a público explicar o porquê de ter seu nome citado em delações e depoimentos da Operação Lava Jato, que investiga a corrupção na Petrobrás. Em Capão do Leão, são 1.338 eleitores que estão esperando uma explicação da Deputada.

Veja o trecho do depoimento de Gerson Almada, que cita Miriam (Região de Pelotas), na última linha.
Última linha da folha cita a Deputada pelotense
Foto: reprodução PF
Perguntinha básica: o leitor sabe quem fez campanha para Miriam Marroni em Capão do Leão?
Perguntinha básica 2: será que outros políticos da Região ainda vão aparecer? Se ocorrer, pode influenciar na eleição de 2016, em Capão do Leão?

Comentários