Inflação: índice acumulado bate recorde de 12 anos

Índice acumulado em 12 meses
é maior desde 2003.
O IBGE divulgou dados do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de novembro. O valor variou 1,01% e ficou 0,19 ponto percentual (p.p.) acima da taxa de 0,82% registrada no mês de outubro. Desde 2002, quando atingiu 3,02%, não havia registro de IPCA mais alto num mês de novembro. Com o acumulado no ano em 9,62%, bem acima dos 5,58% de igual período de 2014, constitui-se no mais elevado acumulado com referência ao período de janeiro a novembro desde 2002, que ficou em 10,22%.
Nos últimos 12 meses, o índice acumula alta de 10,48%, resultado superior aos 9,93% dos 12 meses imediatamente anteriores. Considerando o índice acumulado em períodos de 12 meses, desde novembro de 2003 (11,02%) não havia registro de taxa maior do que os 10,48% deste mês. Em novembro de 2014 o IPCA havia registrado 0,51%.
De acordo com o IBGE ainda, pelo segundo mês consecutivo, o grande vilão foram os combustíveis, mais caros cerca de 4,16%.
No quesito alimentação, os principais vilões foram a batata, com aumento de 27,46%, em relação a outubro; o tomate, 24,65%; os açúcares cristal e refinado e a cebola, todos com índices acima de 10% de aumento em relação a outubro. Veja a tabela abaixo com os principais aumentos:

Item
Variação mensal
(%)
Variação Acumulada
(%)
Outubro
Novembro
Ano
12 meses
Batata-inglesa
-10,69
27,46
29,69
47,55
Tomate
0,14
24,65
32,31
24,08
Açúcar cristal
4,43
15,11
21,33
20,21
Açúcar refinado
1,91
13,15
18,23
22,09
Cebola
-32,64
10,39
41,25
48,02
Alho
4,12
6,22
46,72
48,59
Óleo de soja
1,13
5,16
13,21
12,71
Hortaliças
1,13
4,76
15,24
17,06
Frutas
1,75
3,97
10,65
10,17
Açaí
-2,39
3,78
-2,05
5,19
Feijão-carioca
0,14
3,23
21,83
37,20
Frango inteiro
5,98
3,21
11,54
13,18
Arroz
3,77
3,13
7,88
9,83
Cenoura
-3,00
2,45
7,21
7,14
Café moído
1,39
2,41
9,59
10,06
Ovos
-1,17
2,27
14,95
10,20
Pão de forma
0,61
2,09
6,79
7,09
Cerveja
4,06
2,04
7,81
8,95
Pescado
-0,04
1,93
8,01
9,17
Cerveja fora
1,28
1,77
11,56
12,94
Cafezinho
-0,11
1,70
14,88
15,52
Atomatado
0,61
1,45
8,77
9,67
Carnes
1,41
1,44
10,75
14,88
Chocolate em barra e bombom
1,28
1,43
13,15
13,77
Farinha de trigo
2,07
1,35
3,38
3,78
Enlatados e conservas
-0,13
0,98
6,18
6,05
Refrigerante fora
0,76
0,87
9,90
10,17
Refrigerante
2,48
0,86
9,70
10,40
Biscoito
0,45
0,84
7,65
7,64
Iogurte
0,58
0,83
9,00
9,23
Doces
0,76
0,80
9,92
11,29
Macarrão
1,13
0,72
7,23
8,02
Refeição fora
0,82
0,70
8,75
10,29
Pão francês
1,29
0,60
11,23
11,44

De acordo com o estudo ainda, foram poucos os produtos que tiveram redução de preços de um mês para o outro como a carne industrializa (-0,79%) e o leite (-0,76%).

O IPCA, calculado pelo IBGE desde 1980, se refere às famílias com rendimento monetário de 01 a 40 salários mínimos, qualquer que seja a fonte, e abrange dez regiões metropolitanas do país, além dos municípios de Goiânia, Campo Grande e de Brasília. Para cálculo do índice do mês, foram comparados os preços coletados no período de 28 de outubro a 27 de novembro de 2015 (referência) com os preços vigentes no período de 29 de setembro a 27 de outubro de 2015 (base).

Comentários