Opinião: Bacharelado em Tudologia

* Por Joaquim Dias

Eu não gosto de usar este espaço para expôr opiniões pessoais, mas diante de tantas coisas que lemos nas redes sociais (diga-se de passagem: "redes sociais" quase sempre é eufemismo para facebook) voltamos novamente a uma batida questão: a falta de discernimento de muitas opiniões que são postadas na internet e a percepção que certos formadores de opinião se arvoram em "especialistas" de tudo. São os bacharéis em Tudologia.
A minha admiração não corresponde ao fato das pessoas emitirem opinião. O que me assusta é que sem ter a informação básica sobre uma questão, certos juízos conseguem unir a análise de um assunto, já com sua posterior sentença e as recomendações sobre o que deve ser feito. Quer dizer, quem lê chega a ter impressão que para aquela opinião só falta ser publicada numa revista científica. O sujeito sabe "tudo", desde a origem de um problema, os seus pormenores, suas questões paralelas, etc.
Meu desabafo é que tudo isso emburrece muito a opinião coletiva, criando distorções graves sobre os problemas da sociedade e contribuindo em muita coisa negativamente, mas exceto ajudando para resolver realmente uma questão.
Há pouco tempo atrás, li um absurdo num comentário de uma postagem de facebook que hoje conto a vários amigos que, por ser tão absurdo, acaba virando folclore. Em Capão do Leão, no ano passado e no ano retrasado, houve um problema sério relacionado ao serviço prestado pela Empresa de Correios e Telégrafos. Devido à falta de carteiros, as correspondências estavam chegando muito atrasadas nas residências, ocasionando um transtorno muito grande. Nada mais óbvio que a revolta da comunidade com o problema e afirmo que esta insatisfação era realmente muito justa e cabia mesmo à população reclamar com veemência. Mas daí as reclamações vão para o facebook e começam as várias opiniões e propostas de solução para o problema. E surgem os bacharéis em Tudologia que agora são "pós-graduados em serviços de entrega de correspondência" que vão emitindo suas análises. São citados os papéis do Legislativo e do Executivo municipais na resolução do problema e costumeiramente já aparecem comentários que ambos são omissos sobre a questão. Contudo, surge um comentário "especializado" que indica uma solução radical desafiando o prefeito: "Por que o prefeito não demite de uma vez esse pessoal dos Correios? Tudo pelego deste prefeitinho!"

Caramba! Dizer o quê? - eu pergunto. Só para informar, caso alguém desconheça, a ECT é uma empresa federal!
Sinceramente, eu evito entrar em determinados debates, não por temer ser discordado ou rebatido quanto às minhas opiniões. Mas por absoluta rejeição antecipada a ter que debater com pessoas que desconhecem um assunto, mas mesmo assim querem emitir opinião "especializada" sobre o mesmo. É muito tempo perdido com questões que muitas vezes são simples, mas se tornam confusas graças às opiniões dos "especialistas".
Não me considero um conselheiro infalível, mas minha sugestão é que as pessoas tenham certa prudência em entrarem em algumas discussões de facebook. Não vale a pena! Creio que existam pessoas honradas e decentes que se posicionam positivamente para debater um assunto, tecendo seus comentários nos limites daquilo que conhecem e procurando auxiliar. Porém, existem também os "especialistas" e este é o problema. Alguns destes "especialistas" sequer conhecem os lugares em que se passam os problemas, ignoram as personas envolvidas e os pormenores da situação. Apenas observam o mundo placidamente no conforto de suas casas diante de uma tela de computador. 
 
*Joaquim Dias é professor da rede pública de ensino, pesquisador e historiador de nosso município. É editor do blog Capão do Leão História e Cultura. Atualmente está na presidência do Instituto Histórico e Geográfico de Capão do Leão (IHGCL).
Os textos assinados não representam necessariamente a opinião do Diário Leonense e são de responsabilidade exclusiva de seu autor.

Comentários